Países com demanda de engenheiros de produção

 A Engenharia de Produção caracteriza-se por agregar uma série de atividades de gerenciamento e planejamento, seja na área da produção propriamente dita, na área de recursos humanos, finanças e de matéria-prima. É uma profissão que tem destaque no mercado nacional e internacional e isso tem se mostrado cada vez mais enfático, principalmente com a criação de novos cursos de especialização que envolvem uma gama de subáreas dentro da Engenharia de Produção, com destaque para tecnologia e inovação. É sem dúvidas um mercado promissor.

O mercado nacional

            No Brasil o mercado oferece inúmeras possibilidades e tem se destacado atualmente. Mesmo com uma alta taxa de desemprego no país, o Engenheiro de Produção tem se mantido relativamente estável profissionalmente. De acordo com o Blog Mackenzie, o curso de Engenharia de Produção no Brasil é geralmente dividido em três vertentes, sendo manutenção, otimização e instalação e, além disso, as atribuições contemplam:

  • Ser um ponto de apoio e fazer a conexão entre departamentos para solucionar problemas.
  • Analisar a matéria-prima da linha de produção para encontrar equilíbrio entre qualidade e custo.
  • Detectar problemas e obstáculos que atrasam ou complicam processos de produção existentes.
  • Garantir que as demandas sejam respondidas com qualidade dentro dos prazos determinados.
  • Garantir que processos de produção usem ferramentas adequadas para que sejam mais rápidos e baratos.
  • Monitorar o consumo de energia e o nível de poluição de uma linha de produção.
  • Utilizar os conceitos de internet das coisas e Indústria 4.0 para otimizar e acelerar os processos produtivos com maior lucratividade.

            Destaca-se aqui o Mestrado Profissional em Engenharia de Produção,  um curso dinâmico que forma profissionais qualificados para resolver problemas complexos, além de incluir uma gama de disciplinas que trazem temas interessantíssimos para pesquisa e que permite ao aluno desenvolver sua dissertação e aplicá-la na empresa onde trabalha. Saiba mais aqui: https://mepep.feg.unesp.br/

Captura_de_Tela_2021-05-27_às_10.51.28_1.png

O mercado internacional

Em países da Europa, Oceania, Ásia e África, como Austrália, Bélgica, Irlanda, Nova Zelândia, Noruega, Cingapura, África do Sul, Espanha e Reino Unido o Engenheiro de Produção e o Industrial são classificados como os mesmos profissionais e são extremamente necessários. É importante notar que, em países de língua inglesa, o curso é chamado de Production, Industrial e Manufacturing Engineering. 

Na Austrália, na Universidade de Nova Gales do Sul, o que ocorre é uma combinação de mecânica e produção, sendo que o curso garante um diploma em Engenharia Mecânica com especialização em Produção(Blog Mackenzie). 

O Canadá é um dos melhores países em relação ao mercado de trabalho, e a engenharia de produção (controle e automação) é destaque no país, com ótimas oportunidades. O Japão, pioneiro no campo de pesquisa científica e tecnologia de ponta, contribui para o desenvolvimento da área de robótica, engenharia sísmica, eletrônicos, industriais, automóveis e máquinas, e atrai profissionais de Engenharia de Produção de todas as partes do globo (DAUDT).

Outro destaque é a Dinamarca, com um alto Índice de Desenvolvimento Humano e uma política de monarquia constitucional, é um país potencialmente industrial e um dos mais seguros e ricos do mundo, sendo que as empresas estão investindo em oportunidades de trabalho para engenheiros (DAUDT).

Assim, é comum realizar especializações em outros países para garantir vagas no mercado internacional. É realmente um intercâmbio de conexões! Aumente suas chances no mercado internacional: inscreva-se no Mestrado Profissional em Engenharia de Produção da Unesp: https://mepep.feg.unesp.br/

background-3228704_1920_1.jpg

Fontes:

Blog Mackenzie:https://blog.mackenzie.br/mercado-carreira/mercado-de-trabalho/paises-com-demanda-de-engenheiros-de-producao/

DAUDT: https://daudt.eng.br/pt/mercado/engenheiros-pelo-mundo/